18 de abril de 2010

AUGUSTE RODIN



 - Tais Luso de Carvalho

Um dos maiores escultores que o mundo já viu chama-se François Auguste René Rodin que nasceu em Paris, 1840 e faleceu em Meudon em 1917 / França.

Oriundo de uma família muito pobre, foi motivo de chacota por sua falta de habilidade acadêmica, então se tornando um homem bastante reservado. Trabalhou 3 anos como pedreiro ornamental. Começou com seus desenhos profissionais aos 13 anos. Suas esculturas eram feitas em argila, gesso, mármore e bronze e tornaram-se inconfundíveis, pois Rodin desenvolveu uma técnica perfeita, para pele, músculos e expressões faciais.

Contudo, não era reconhecido pelo seu talento, e pela primeira vez, aos 18 anos, foi rejeitado pela École de Beaux-Arts de Paris.

Suas primeiras obras foram criadas em monumentos desenhados por outras pessoas, e em ateliês movimentados. Na década de 1860, muito frustrado por não ser aceita sua produção artística, sofreu um colapso emocional. Passou algum tempo num monastério, para se recuperar. Quando melhor, alugou um atelier onde começou a contratar alguns modelos.

Em 1875, Rodin visitou a Itália, onde se inspirou na arte clássica, principalmente nas obras de Michelangelo Buonarroti.

Sua perfeição era tão grande ao retratar o corpo humano e suas proporções tão exatas que, ao mostrar suas obras foi acusado de trapacear por usar molde de uma pessoa, sem esculpir o modelo.

.

Sua primeira grande obra foi As Portas do Inferno / 1880. Foi planejada para ser a entrada de um museu que nunca foi construído. Parte das 200 figuras que compunham a obra feita, Rodin usou algumas de suas figuras como obra independente, como no caso de O Pensador. A obra encomendada ficou como inacabada, fato que o angustiou até o final de sua vida. As várias moldagens da estrutura foram tiradas após a morte de Rodin. A composição geral é uma espécie de recriação romântica dos Portais do Paraíso elaborados por Ghiberti para a Catedral de Florença; as figuras contorcidas e angustiadas, lembram o juízo final de Michelangelo.
.


Daí em diante – 1880 -, adquiriu fama e prestígio. Passou a produzir obras famosas como: O Pensador / Os Burgueses de Calais / O Beijo / O Ídolo eterno / O Homem com o Nariz Quebrado / A Idade do Bronze / Camille Claudel / A mulher Agachada / O Anjo caído / Balzac / O Beijo / La France / Torso de uma Mulher.

Pelo seu entusiasmo pela beleza feminina adquiriu a fama de eterno sedutor. Trabalhou em seu atelier com grandes escultores, entre os quais Camille Claudel, sua famosa aluna e amante, que o retratou em A Valsa.
.

Sua antiga casa, em Paris, abriga o Museu Rodin. Existe outro Museu Rodin na Filadélfia.
Mas foi por volta de 1850 que sua saúde começou a deteriorar, por causa da depressão – por causa da falta do reconhecimento artístico. Com a morte da irmã em 1862, Rodin entrou novamente para um monastério. Porém, um padre amigo, percebendo que Rodin não tinha vocação religiosa, o aconselhou a voltar a esculpir para que pudesse se recuperar. O padre chamava-se Eymard, que Rodin também o esculpiu.

A influência de Rodin para o desenvolvimento da arte moderna é extraordinário: num esforço solitário ele resgatou a escultura da inércia em que se encontrava, abrindo caminho, nesta área, para a expressão individual.


Fontes: Dic. Oxford de Arte
Grandes Artistas - Stephen Farthing


40 comentários:

  1. Rodin foi realmente um gênio, o primeiro nome que vem a mente de todos quando o assunto é escultura, todos gostam de sua obra, mesmo as vezes não sabendo o porquê.

    O pensador por exemplo, todas as pessoas se identificam com aquele homem sentado tentando resolver algum problema. Não sabemos qual a natureza do problema: filosófica, financeira, a cura do câncer, a fusão a frio ou talvez sua filha adolescente grávida, não importa; a única certeza é que a busca incessante pela solução do problema, traz ao homem o sofrimento expresso em seu semblante. Excelente!

    ResponderExcluir
  2. Também sou fã de Rodin. Parabéns pelo seu blog. Beijos

    ResponderExcluir
  3. O destino misterioso que reveste a vida dos Grandes Gênios das ARTES... saber que muitos deles precisaram morrer para tornarem-se famosos. Muitos doaram suas próprias vidas em sacrifício para uma posterior casta de artistas, como que um carma, que pode ser explicado somente com argumentos que ultrapassam nossas capaacidade de entendimento.

    Adoro as esculturas de Rodin!
    Beijinhos, Taís

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosa postagem Tais! Parabéns!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Belo tributo cronica ,acerca de Rodin!
    Blog teu,amalgama poesia ,arte in art,cultura e poesia ,que emanas sempre ,de sensibilidade tão somente tua!
    bzu mãos suas!


    viva la vida

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Vim te convidar para brindar comigo as 6000
    visitas do meu blog Leio, logo existo!. Tem
    flores, bolo e champanhe. Fiz um selinho
    para presentear vocês.
    Um abraço,
    Marineide

    ResponderExcluir
  7. Rodin está definitivamente ligado à escultura e por mérito.
    O seu Pensador (talvez a sua obra mais conhecida) é intrigante e o seu rosto perfeito mas crispado, revela-nos um homem que pensa em soluções para o seu problema.
    O Beijo, quase tão conhecida como a primeira... é de uma ternura e meiguice que comove.
    Parabens por esta bela postagem.
    Beijo amigo e boa semana.
    Graça

    ResponderExcluir
  8. simplesmente belíssimo seu blog. Imediatamente já está fazendo parte do meu

    ResponderExcluir
  9. Olá Taís,
    Como sempre, você cuida deste espaço com esmero e dedicação.
    Aqui a gente aprende a amar a arte pela arte.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Um escultor digno de realce. Quem tiver oportunidade não deixe de visitar o Louvre e a sua Casa-museu em Paris. Um post esclarecedor e com mérito.Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Muito impressionante e inspiradora a historia de Rodin!! Adoro as obras dele! Abraço!!!

    ResponderExcluir
  12. Fantástico.

    E sabe o que eu tenho reparado ultimamente? Os artístas visionários de antigamente eram constantemente críticados e menosprezados só tendo uma maior importância pós sua morte.

    Seria esse um vislumbre da burguesia esnobe que varreu a Europa no passado?

    Eu gosto muito de O Ídolo Eterno e O Anjo Caído. Este primeiro está retratado em uma capa do CD The Eternal Idol do Black Sabbath e o segundo está eternizado na capa do CD Said Wings of Destiny do Judas Priest.

    Os rockeiros também sabem apreciar o que de melhor a arte registrou.

    Direto do Rio.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  13. Maravilhoso Rodin!
    Mas sempre que vejo ou leio
    sobre Rodin, lembro e penso também, em Camille Claudel. A aluna/escultora
    que adoeceu e morreu enlouquecida por amor à ele.

    Tais, ela foi um exemplo, também, de
    amor exagerado e compulsivo.
    Todos nós, temos um limite para absorver esses excessos. Rodin não suportou esse exagero.

    Seu blog é maravilhoso!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Taís querida, sou fascinado pelo trabalho de Rodin... já de sempre! Obrigado por colocar aqui tao bem definidos os teus pensamentos. Como acabei de escrever no Blog de Patrickíssimo (sobre um comentário teu): voce tem o talento de captar momentos com esta tua extrema sensibilidade. Que prazer passar por aqui!

    ResponderExcluir
  15. Não tenho tanto contato com as artes plásticas quanto gostaria, entao o seu blog foi um achado pra mim. Parabén pelo post sobre Rodin.

    ResponderExcluir
  16. Maravilhoso seu blog,faz jus a artista que és
    Conheço algumas obras do Rodin,pois aqui em Salvador,temos um museu onde elas estão expostas.
    Obrigada por seu comentário em meu blog
    Beijão

    ResponderExcluir
  17. Auguste Rodin! Wow, he is one of my favorites and I had been reading about his works ever since I was a kid! He's a genuine artist, a genius. Thanks for sharing with us his works through this post.^^

    ResponderExcluir
  18. Rodin, me impressiona, quando as obras estiveram aqui em São Paulo, fui ver 4 vezes e em todas elas fiquei impressionada. Muito triste a história da Camile que vi em um filme.

    beijinho

    Desculpe o sumiço, mas sérios problemas familiares, agora reforma da minha nova casa, e marido trabalhando em Barcelona até outubro,imagine, lidar com pedreiro, pintor...etc...rs
    Beijinho

    ResponderExcluir
  19. Olá gostaria de convidá-lo a conhecer meu trabalho através do blog Ecos do Teleco Teço (WWW.ECOSDOTELECOTECO.BLOGSPOT.COM) . Grande abraço e sucesso com sua proposta !! Axé

    ResponderExcluir
  20. Passei para deixar-te um oizinho.
    Beijos, Taís

    ResponderExcluir
  21. Um super fim de semana feliz.
    beijos
    Graça

    ResponderExcluir
  22. Gostei mto da postagem, falar de Rodin, é ter em mãos um tesouro, uma vida rica de detalhes, mta informação...que nos cabe sintetizar. Coincidência ou não, já estou com uma postagem pronta pra ser lançada, sobre este - artista - que merece uma forma diferente de ser explorada - Falarei pouco, mas deixo aqui a minha impressão sobre ele: - um homem solitário, mto profundo, muitas indagações, e mtas descobertas feitas através de sua viagem interior, afim de conhecer melhor a face humana.
    Parabéns pela postagem.
    Acabei de expor um quadro meu em acrílico, qdo tiver um tempinho, passe lá.
    Bjocas.
    Waleria Lima.

    ResponderExcluir
  23. Tais, passo para deixar um convite.

    Um novo espaço está se formando e gostaria que visitasse - http://in-percepcoes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Espetacular a publicação que em síntese é um aceno de reconhecimento a um gênio da história da humanidade.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  25. Amei, lindo post!

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  26. Adoro Rodin. As obras dele passam emoções fortes... são sensíveis demais!
    Forte também, é a história de amor vivida por ele e a Camille.
    Sentimos os dois, nas suas obras!

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  27. Bom dia.
    Esse blog é maravilhoso!

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  28. Não consegui seguir este blog. A janelinha não mostra os seguidores.

    ResponderExcluir
  29. Oi, Amapola, também tenho encontrado este problema, a janela dos seguidores custa a abrir; problemas do blogger ou da Internet. Tudo muito lento! Mas como já sei disso, espero ou volto.

    De qualquer maneira fico grata! Um dia você consegue, rsrs.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Gosto de vir aqui e me enriquecer, Tais, obrigado pelas pinceladas e obras dos mestres que aqui apresentas. Curioso, vendo estas estátuas de Rodin, senti um classicismo nas formas. Acho que na verdade tudo que chega á perfeição é clássico, deve ser isso. Grande abraço, e virei mais vezes.
    Ah, estou aguardando uma postagem sobre Fra Angélico, pintor religioso que muito aprecio.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  31. Olá Tais,

    Primeiro venho a gradecer por ter visitado o meu blog.
    Depois, devo dizer que, sempre que puder virei aqui para aprender muita coisa que não sei.
    Parabéns
    Um beijo
    Adelaide / Portugal

    ResponderExcluir
  32. Conhecia muito pouco de Rodin.
    Afinal nasceu pobre e teve uma vida complicada.
    Gosto muito do pensador que o identifica.
    Tais obrigado pela visita. Gosto dos seu comentários.

    ResponderExcluir
  33. Tais, que gracioso o seu comentário, isso sem falar em sua conjugação do verbo blogar. Veja, quanta coisa legal acontece devido ao blog. Achei lindo e delicado o seu comentário. Emocionou-me.

    Aproveito e me delicio com mais um pouco de arte na postagem dentro do padrão Tais Luso de qualidade.

    Um grande abraço, linda!

    Jefhcardoso

    ResponderExcluir
  34. Oi Tais,
    As Biografias desses artistas são surpreendentes, seja pelo lado profissional ou pessoal. Mais uma bela postagem. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  35. Bonita a obra, mas penso que seja o Rodin que é citado em Camille Claudel, não seria interessante linkar o nome dele a este post?

    Fique com Deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  36. Beautiful blog and photos, have a nice day Radka.

    ResponderExcluir
  37. olá nao estou querendo criticar seu blog ,mas sou estudante de arte e percebi que tem uma informaçao errada, a porta do inferno nao foi a primeira obra de rodin e sim o homem que caminhava e o torso depois veio as outras obras

    ResponderExcluir
  38. Olá, JULIANA, penso que você está equivocada.

    Eu falei que sua 'primeira grande obra' foi (início) AS PORTAS DO INFERNO / 1880 – 90 e não terminou.'
    Foi planejada para ser a entrada de um museu que nunca foi construído. Foram usadas '200' figuras independentes, algumas já feitas – para compor a obra, como no caso de O Pensador que está em cima da porta. (texto do blog)

    A 'primeira obra' de Rodin foi 'O HOMEM DE NARIZ QUEBRADO' – 1874-75 e não foi aceita no Salon de Paris.

    A obra que você fala, como sendo seu primeiro trabalho, O HOMEM CAMINHANDO é de 1907 – portanto não pode ser considerada a sua primeira.
    - TORSO DE MULHER É DE 1909 e...
    - TORSO DE ADÉLE é de 1884.
    Espero ter lhe esclarecido e deixo aqui o endereço do Museu de Rodin:

    Museu Rodin
    http://www.musee-rodin.fr/

    Um abraço pra você.
    Tais

    ResponderExcluir
  39. David Rodrigues10:44

    Os dois amantes absorvidos num intenso beijo representados na estátua "O Beijo",transmitem uma tal força emotiva e sensualidade que tornou esta obra numa das mais famosas esculturas de todos os tempos.É minha favorita
    Facebook David leite rodrigues

    ResponderExcluir
  40. minha fasciação pelas obras de rodin é que sendo de seculos passado parece serem ambientadas e
    sentidas nos dias de hoje. Ou seja sentmentos sempre são atuais.Como por se explica "O Pensador"
    pois problemas para refletirmos nunca se deixamos de tê-los.Lucréccia Lôbo,

    ResponderExcluir