16 de setembro de 2008

BARROCO NO BRASIL / ALEIJADINHO

Igreja de S.Francisco da Penitência / Rio de Janeiro / clique foto



 -Tais Luso de Carvalho

O Barroco foi introduzido no Brasil no início do século XVII pelos jesuítas, que trouxeram o novo estilo como instrumento de doutrinação cristã. Nas artes plásticas seus maiores expoentes foram Aleijadinho - na escultura  e Mestre Ataíde - na pintura onde suas obras, consideradas as mais belas do país despontaram com maior encanto a partir de 1766.


Nossa Senhora das Dores / Aleijadinho

O barroco brasileiro é associado claramente à religião católica. Em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco encontram-se os mais belos trabalhos de relevo em madeira - as talhas - e esculturas em pedra sabão. Já nas regiões mais pobres, onde não havia o comércio de açúcar e ouro, a arquitetura das igrejas apresentava aparência mais modesta, assim como as residências, chafarizes, câmaras municipais etc.

No Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, terras do Paraguai e Argentina, chamadas de região missioneira, a arquitetura era diferenciada da arquitetura do Nordeste e das regiões das minas de ouro, pois os jesuítas misturaram elementos da arquitetura românica e barroca da Europa, pois os construtores eram de origem européia. 

No Nordeste, somente no século XVIII houve total domínio do requinte do barroco. De Salvador saia grande quantidade de riqueza do país para Portugal e também vinham os artistas portugueses e produtos. 

Riquíssima é a Igreja de São Francisco de Assis, com seu interior revestido de talha dourada levando para si o título de a Igreja mais linda do Brasil. 

Os mestres maiores da arte sacra foram Aleijadinho e Mestre Ataíde, onde suas obras, consideradas as mais belas do país despontaram com maior encanto a partir de 1766. 

O período barroco brasileiro tem, então, em seus santos e suas igrejas a mais significativa manifestação de fé e de arte: não só uma fé intimista com que cada pessoa se relacionava com seu santo, mas também, como uma expressão ímpar de ver, sentir e vivenciar a arte.

ANTONIO FRANCISCO LISBOA - O ALEIJADINHO:

 
As maiores expressões do Barroco Mineiro são, sem dúvida, o Aleijadinho e Ataíde. Mas a arte setecentista de Minas Gerais foi criação de uma infinidade de artistas, dos quais muitos permanecem no anonimato.

Antônio Francisco Lisboa - 1738/ 1814

Era o nome completo do Aleijadinho, nascido em Vila Rica, em 1738, filho bastardo do português Manuel Francisco Lisboa e de uma escrava, Isabel. Tendo nascido escravo, foi libertado pelo pai no dia de seu batizado.

Entalhador, escultor e arquiteto, trabalhava madeira e pedra-sabão, de que foi o primeiro a fazer uso na escultura. Considera-se que tenha aprendido o ofício com o próprio pai e outros mestres, José Coelho Noronha e João Gomes Batista. Mas é provável que sua genialidade criativa tenha prevalecido sobre as lições aprendidas.

Quase tudo o que se sabe sobre a vida de Aleijadinho vem de uma memória escrita em 1790, pelo segundo vereador de Mariana, o capitão Joaquim José da Silva, e da biografia escrita por Rodrigo José Ferreira Bretãs, publicada em 1858. Ultimamente, sua vida e obra têm despertado o interesse de estudiosos dentro e fora do país, embora permaneçam ainda muitos pontos controvertidos.

Uma grave doença o acometeu aos 39 anos de idade. A enfermidade deformou seu rosto e atacou seus dedos dos pés e das mãos, donde lhe veio o apelido. Apesar da doença, continuou a trabalhar incansavelmente, sendo auxiliado por três escravos: Januário, Agostinho e Maurício. Era este último que amarrava as ferramentas nas mãos deformadas do mestre.

Igreja São Francisco de Assis / Ouro Preto

O primeiro trabalho artístico importante do Aleijadinho data de 1766, quando recebeu a incumbência de projetar a Igreja de São Francisco, de Ouro Preto, para a qual realizou, posteriormente várias outras obras. Quatro anos depois, desenvolveu trabalhos para a Igreja do Carmo, de Sabará. Em seguida trabalhou para a Igreja de São Francisco, de São João del Rei. Enfim, ele recebia muitas encomendas, e às vezes, prestava seus serviços em obras de duas ou mais cidades simultaneamente.  

No final do século XVIII, ele se encontra em Congonhas, onde permaneceu de 1795 a 1805, trabalhando para o Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, para o qual esculpiu os Profetas em pedra-sabão e as estátuas em madeira dos Passos da Paixão. Seu último trabalho, de 1810, foi o novo risco da fachada da Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes.

Ficou cego pouco depois, e viveu os últimos anos sob os cuidados de Joana Lopes, sua nora. Faleceu em 1814, aos 76 anos de idade, tendo sido sepultado no interior da Matriz de Antônio Dias, em Ouro Preto.

por Aleijadinho
Mosteiro de São Bento / Rio de Janeiro - clique foto
Anjo da Paixão / Aleijadinho - Santuário de Matosinhos
Igreja de São Francisco / Bahia -  AMPLIAR CLIQUE FOTO




BARROCO E O CATOLICISMO: AQUI
INTRODUÇÃO AO BARROCO NESTE BLOG: CLIQUE AQUI
A MAIS BELA IGREJA DO BRASIL: AQUI (arraste o mouse, 360º)



 

21 comentários:

  1. Anônimo23:50

    Muito bom, bem resumido e bem explicado... Adorei, consegui a partir daqui tirar quase todas as minhas dúvidas. Obrigado pela ajuda ;D

    ResponderExcluir
  2. Mirene15:35

    Gostei muito dessa pesquisa,ajudou pra karamba!Obrigada!...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. danyela09:15

      gostei muito e interesante e legal obrigada por publicar essas materias

      Excluir
    2. nl.muito bom este texto

      Excluir
  3. Gostei,me ajudou bastante.Obrigada!

    ResponderExcluir
  4. EZEKUIEL15:06

    KARANBA

    Parabens pelo texo desse jeito eu ja sei q vou tirar no minimo a metade do valor da prova, q vale 4,0 pontos obrg

    ResponderExcluir
  5. muito esclarecedor mas não trouxe as carecteristicas com que a arte barroca tem as bordas escuras e seu centro onde há sua imagem mais claro...

    ResponderExcluir
  6. gostei muito
    obrigado

    ResponderExcluir
  7. Tive a oportunidade de conhecer o trabalho de Aleijadinho na Igreja São Francisco em São João del Rei. É um trabalho impressionante. É lindo! A vontade que eu tinha era de sentar no banco e passar horas notando os vários detalhes de seu trabalho, mas eu tinha várias outras igrejas pra conhecer. Existe algo sobre as cabeças de três anjos que ele colocava em suas esculturas nas igrejas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, HUGO:
      Os anjinhos eram chamados 'Querubins', apenas esculpia 3 anjinhos, ou 2. Significava a inocência encontrada nas crianças e entalhava principalmente nos retábulos e altares das igrejas. Era muito usado, dava graça. Aliás, os Querubins estão em muitos trabalhos, não só do Aleijadinho.

      Abraços, amigo!

      Excluir
  8. beatriz18:04

    adorei a historia do aleijadinho muito imteresante obrigada!

    ResponderExcluir
  9. me livrou de um ponto negativo na escola

    ResponderExcluir
  10. érica10:30

    me ajudou no trabalho.valeu.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo10:32

    Muiito Bom!! me ajudou bastante a fazer o trabalho da escola !!

    ResponderExcluir
  12. Meu Deus, ótimo trabalho adorei tem tudo de que preciso muito obrigado rs
    acho que meu trabalho sobre a arte barroca no Brasil vai ficar muito bom,você está de parabéns ta muito bem explicado vou recomendar esse blog pra quem mais precisar rsrs bjs e mais uma vez obrigado me salvou o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paulo, que bom, fico muito feliz quando consigo ajudar!
      Um abraço, volte sempre.

      Excluir
  13. Anônimo09:42

    Gostei muito do assunto que fala sobre Aleijadinho,bem interessante sua história!

    ResponderExcluir
  14. Anônimo16:27

    amei tudo!!

    ResponderExcluir
  15. Anônimo13:29

    a historia de aleijadinho e muito boa adoro ler sobre ele !

    ResponderExcluir
  16. Anônimo09:53

    muito bom axei espetacúuuularr

    ResponderExcluir
  17. Anônimo15:58

    mt legal ta .. com coisa q eu li o texto todo

    ResponderExcluir